ECOPOL Saúde

Participação social: os limites e as possibilidades da construção coletiva no SUS

Resumo

As construções coletivas se dão em diferentes espaços, no contexto do Estado, temos as instâncias de participação social, normatizadas nas políticas sociais como locais em potência para fortalecer os sujeitos e seus territórios. Os conselhos e conferências estão normatizados na política de saúde como campos da organização institucional que possuem potencial de ampliar a luta política para além do Sistema Único de Saúde (SUS). Objetivos: Compreender e repensar os limites e possibilidades da participação social no SUS com respaldo no pensamento de Floreal Antonio Ferrara. Metodologia: Revisão bibliográfica em revistas marxistas e de tradição crítica buscando compreender o termo “participação social”, assim como, explorar limites e possibilidades deste campo institucionalizado na política de saúde, com respaldo no pensamento de Floreal Antonio Ferrara. Conclusões: Pretendemos explicitar criticamente o termo “participação social” e seus semelhantes para promover uma discussão crítica sobre os limites e possibilidades institucionais desta prática, bem como, repensá-la.
Compartilhe: